domingo, 14 de agosto de 2016

DA ALHEIRA E DO PORCÃO

Peço desculpa por perturbar as vossas férias ainda por cima num Domingo. 
Faço-o pelo que creio ser uma causa justificada. É importante que tenhamos consciência dos graves problemas que assolam o país e os portugueses e não nos devemos distrir e não estar atento ao que é verdadeiramente relevante.
No Público encontra-se uma extensa notícia assim titulada.

Despedida por chamar alheira e porcão a dirigentes da Ordem dos Advogados

Não podemos ficar indiferentes a tal situação.
Por ser de Mirandela a Senhora Bastonária da Ordem dos Advogados não pode ser tratada por "alheira" por uma outra jurista funcionária da Ordem. Não é bonito nem admissível.
Por se chamar Menezes Leitão o Senhor Presidente do Conselho Superior da Ordem não pode ser tratado por "porcão" pela mesma funcionária. Não é bonito nem admissível.
Confesso, "mea culpa, mea culpa", que não consegui ler toda a peça. Mas devia, não nos devemos alhear do que é essencial.
Percebi que senhora jurista que destrata os superiores terá sido "despedida", que não se conforma e que, naturalmente, o processo se arrasta pelos tribunais. Nenhuma surpresa, a coisa envolve advogados.
Não há nada como estar atento ao que importa.

1 comentário:

Anónimo disse...

O advogado desta jurista tem de nome Jerónimo Martins... Se este for eleito bastonário, ela vai tratá-lo por "grande superfície"?