quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

DE VOLTA

A minha Avó Leonor, mulher de sabedoria e que, como todos os sábios, partiu demasiado cedo, afirmava, "as pessoas deviam experimentar o sofrimento e a falta para aprenderem a dar valor ao que têm". Sempre discutíamos porque eu achava, provavelmente no tempo em que era (mais) ingénuo, que se a gente se for atenta aos outros não precisa de sofrer para dar valor ao não sofrer.  
Agora ja não lhe posso dar razão mas quando a encontrar dir-lhe-ei. É verdade.
Entrar com alguma ansiedade e um sentimento de ser nada num mundo ... desconhecido é asssustador por mais que queiramos confiar na competência de quem de nós cuida.
Mas vou contar-vos.
Muitas horas depois, voltar a ver a luz de Lisboa e o Tejo lá em baixo ... é bom demais ainda que as dores atormentem. 
A Avó Leonor tem razão, quando elas passarem e as pernas se mexerem bem, de novo, vou perceber melhor o que sofre tanta gente.
Gente que, por exemplo, não teve o privilégio que eu tive, tenho, de poder encontrar rapidamente uma resposta de saúde, com qualidade, porque alguma outra gente, essa sim, não percebe o sofrimento dos outros.
É bom voltar.

2 comentários:

Fatyly disse...

É bem verdade e subscrevo tudo o que dizes!

Desejo-te uma franca recuperação e que tudo corra pelo melhor. Acredito que sim!

Um abraço sincero e respeitador

Cesar Faria disse...

É isso tudo Zé, continuação de boa pré-época.