quarta-feira, 29 de junho de 2016

POSTAL DOS AÇORES

No aeroporto de Ponta Delgada a iniciar o regresso depois de três dias de intenso trabalho em S. Miguel, uma das Ilhas Encantadas, os Açores.
O desafio era e é grande mas estimulante para quem tem a educação como paixão e também como forma de vida, dar um contributo que agora se iniciou para o desenho e acompanhamento de um Projecto, sempre um Projecto, que minimize o insucesso educativo e o abandono na população escolar do concelho de Lagoa.
Com o entendimento de que, como ouvi pela primeira vez em Moçambique, para fazer uma casa bastam quatro homens, para educar uma criança é preciso uma aldeia, o trabalho a realizar está para além das escolas, envolve as famílias e as diferentes estruturas, públicas ou privadas, que lidam com as problemáticas das crianças e jovens e das famílias.
Será uma tarefa difícil certamente mas acredito que seremos capazes de realizar algo de positivo.
O empenho e a mobilização que encontrei no trabalho com todos os professores das escolas de Lagoa, a disponibilidade e abertura de várias entidades de sectores diversos da comunidade de Lagoa e, sobretudo, o muito trabalho com qualidade que já é realizado, são um conjunto de factores muito animadores apesar da consciência das dificuldades.
Foi bom ter estado, vai ser bom voltar com regularidade, vai ser bom ver resultados positivos que os miúdos, as famílias e os professores e técnicos competentes e empenhados que aqui encontrei merecem.
Uma nota final. O peixe nos Açores continua excelente.

4 comentários:

Rui Santo disse...

Foi um prazer partilhar convosco preocupações comuns e tenho a certeza de que teremos sucesso..abraço

Alexandre Oliveira disse...

Falar de educação nos dias de hoje costuma ser falar de problemas, de dificuldades, de obstáculos, contenção de recursos, de insucesso e toda uma panóplia de expressões que nos remetem para um baixar de braços que não queremos que aconteça. Ainda que no final de um ano letivo, a forma empolgante como abordou alguns destes temas nas escolas do concelho de Lagoa, com uma argúcia discursiva cativante, conseguiu ajudar a fazer ver que, afinal, não é tão difícil ou impossível ajudar aqueles que ainda " não conseguem atravessar a ponte" e vencer!

Zé Morgado disse...

Olá Rui, certamente que vamos conseguir ir um pouco mais longe. Foi bom estar convosco.

Zé Morgado disse...

Olá Alexandre, numa escola onde se está bem é mais fácil ... estar bem :)
Um dia destes fujo para aí outra vez. Foi bom ter estado aí, vim mais pesado de experiência e saber. Os tipos da Ryannair até me queriam cobrar excesso de bagagem. Boas férias, um abraço