quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

DESESPERANÇA

Em síntese.

Corte salarial duplica para 165 mil funcionários públicos. 1ª página do Público.
Austeridade desigual. 82% são cortes na função pública, reformados, Educação e Saúde, 4% vêm da banca petrolíferas e redes de energia. 1ª página do DN.
Esmagados. Decisões do Governo para 2014 parecem um rolo compressor dos portugueses. 1ª página do JN.
Governo tira 1371 milhões à função pública. 1ª página do CM.
Orçamento de Estado. Banca e eléctricas pagam 7% da factura cobrada às famílias. 1ª página do I

Em resultado.

A indignação.
A perplexidade e a incerteza.
A pobreza.
A desesperança.

1 comentário:

não sei quem sou... disse...

Pois é...
Desde 1974 que os nossos inteligentes governantes começaram a cavar a sepultura do povo. Caçaram votos com políticas despesistas. Agora que deu para o torto, levam as manitas á cabeça e CLAMAM: ai, ai, acudam que não há money, a culpa é dos mercados e dos especuladores sem alma nem coração, é das agências de RATING e GOLDMAN SACHS, da TROIKA e da Alemanha, é de todos excepto de mim, eu que sempre fui muito competente e patriota, dei o máximo do meu melhor, dei cabo da sustentação do estado social e das finanças do meu país, obras faraónicas era só comigo, gastei o que não tinha para ajudar os construtores meus compadres, meus amigos e amigos generosos do meu partido. Dei cabo de milhões em auto-estradas para Celhas de Baixo e Alguidares de Cima, um aeroporto internacional em Beja onde aterra apenas um avião e meio por semana, estádios de futebol que não eram necessários, PERMITI que os bancos emprestassem rios de dinheiro a CRIMINOSOS DE COLARINHO BRANCO E COM GOMA, e a pessoas honestas mas que devido ao roubo de parte do seu salário já não conseguem pagar o que devem.

Agora digam-me lá ? Não fiz QUASE tudo bem?!

A CULPA É DOS OUTROS, EU NÃO TENHO NADA A VER COM ESTE DESCALABRO SOCIAL
!
É A LINHA DE PENSAMENTO DO POLÍTICO PORTUGUÊS...

AGORA OS GOVERNANTES EM OFF
"O único erro que eu cometi (consciente, para meu interesse e do partido, claro) foi NUNCA ter escolhido as pessoas certas para os lugares certos..."


VIVA!