quarta-feira, 6 de agosto de 2014

PORQUE NÃO UM PORTUGAL BOM E UM PORTUGAL MAU?

Esta decisão engenhosa de resolver os problemas causados pela gestão fraudulenta do Grupo BES criando um Banco Bom e um Banco Mau pode ser inspiradora a uma escala maior.
Considerando os problemas graves do País, porque não criarmos um Portugal Bom e um Portugal Mau. Talvez sejamos capazes.
No Portugal Mau ficariam todos os activos tóxicos produzidos por décadas de partidocracia e defesa de interesses de ocasião em vez do interesse geral.
Poderiam ficar boa parte das lideranças, das famílias, que têm determinado o estado de coisas a que chegámos.
Poderiam ficar os activos que hipotecaram a nossa soberania aos ditados dos mercados. Poderiam ficar os mamarrachos e atentados ao património, cultural, arquitectónico e natural que foram realizados quase sempre na maior impunidade.
Poderiam ficar, enfim, todos os que nos trouxeram até aqui.
No Portugal Bom ficariam os activos e património valiosíssimos que o país ainda possui e que têm sobrevivido à sanha destruidora de boa parte dos que têm passado pelos diferentes poderes.
Ficariam aqueles que acham que as pessoas e o seu bem-estar são a justificação e motor dos modelos políticos, económicos, sociais e de desenvolvimento.
Ficariam aqueles que entendem que os direitos das pessoas, de todas as pessoas, não são de geometria variável.
Ficariam aqueles para quem a dignidade e a cidadania de qualidade são bens de primeira necessidade.
Ficariam aqueles que estão a partir por falta de futuro cá.
No Portugal Bom ficariam, evidentemente, muita gente e muitas coisas.

Talvez seja excessivamente optimista mas creio que o Portugal Bom seria um país rico e amigável para as pessoas.

1 comentário:

Fernanda Fernandes disse...

concordo em pleno no Portugal bom ficaria concerteza os jovens licenciados que partem para outros Países na Esperança de um futuro ...de um futuro que não existe no Portugal mau. beijokas e um grande abraço saudades